Loja Teosófica Liberdade


Arquivos de %2008

  • A Noite Escura da Alma: O Paradoxo Místico

    A Noite Escura da Alma: O Paradoxo MísticoAnálise da experiência mística que antecede à plena iluminação, segundo a doutrina de São João da Cruz  (Séc.16).Sergio Carlos CovelloA “noite escura da alma” é metáfora de uma experiência mística que envolve paradoxo, porque essa experiência é iluminativa e, no entanto, obscurece a consciência e acarreta sofrimento. Para  extrair […]

    Leia Mais
  • Estamos nós criando a “geração da permissividade”?

    Walter Barbosa, membro da SOCIEDADE TEOSÓFICA Dizer “sim” pode nos parecer o meio mais fácil de agradar, de fazer amigos. Contudo, sendo a criatura humana insaciável, sob o acicate de seus desejos e necessidades infinitas, a busca do “sim” pode se repetir muitas vezes, até que o dia em que, percebendo o abuso, dizemos “não”. […]

    Leia Mais
  • “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”

    Walter Barbosa, membro da SOCIEDADE TEOSÓFICA Em muitas passagens bíblicas parece claro um conflito entre os desígnios divinos para o ser humano e aquilo que ele vive em seu dia a dia, no cenário da Terra. Qual a razão desse conflito? Eterna punição de Deus à “desobediência no Paraíso”? De fato, sem um embasamento filosófico […]

    Leia Mais
  • Não espere nada

    Walter Barbosa Esperar, às vezes, é uma coisa inevitável. Aguardando, pacientemente, nossa vez de sermos atendidos na fila do banco, no restaurante, nos consultórios (ah, os consultórios!), esperar é, além do mais, uma questão de educação, de civilidade. Contudo, Eckhart Tolle, autor do best seller “O Poder do Agora”, nos aconselha a “não esperar nada”. […]

    Leia Mais
  • Desilusão: momento de “morrer”… e de crescer

    Walter Barbosa, membro da SOCIEDADE TEOSÓFICA Velhos ou jovens, passamos a vida inteira iludidos. O que muda, depois de certa idade, é que suspiramos não mais pelo que “é” ou pelo que “será”, mas pelo que foi. Ficamos “lá” rememorando os momentos de ilusão vividos, apesar dos desencantos que se seguiram, porque “estar iludido” é […]

    Leia Mais
  • Astrologia Esotérica: 6) Os aspectos planetários

    Por Antonio Carlos Jorge Aspectos são distâncias angulares estabelecidas entre dois ou mais planetas e destes em relação às cúspides das casas 1 e 10 (Ascendente e Meio do Céu). Os ângulos formados estão correlacionados com a fluidez de energia dentro de um ambiente, considerando fatores harmônicos e desarmônicos constituídos, como demonstrados nas figuras: Observe que […]

    Leia Mais
  • Astrologia Esotérica: 5) As Casas Terrestres

    Por Antonio Carlos Jorge As Casas Terrestres são subdivisões, iniciando-se a 0º de Áries. Partindo-se do movimento de rotação, divide-se as 24 horas em 12 setores de 2 horas, sendo que cada um desses setores corresponde a um signo e representam áreas  onde desenvolvemos nossas experiências de vida. A Casa 1 relaciona-se à Áries e […]

    Leia Mais
  • Astrologia Esotérica: 4) Características dos Planetas

    Por Antonio Carlos Jorge Em complemento aos signos, objeto do artigo apresentado na publicação anterior, existem os planetas que exercem importantes influências, a depender de sua posição frente à roda zodiacal. Os planetas matizam o nosso comportamento. São como atores que desempenham determinados papéis, cujos assuntos estão relacionados aos signos. Além do Sol e da […]

    Leia Mais
  • Astrologia Esotérica: 3) Características dos Signos

    Por Antonio Carlos Jorge Vimos nos artigos publicados nos números anteriores, como os signos se formam e agora teceremos alguns comentários sobre as características gerais dos mesmos. A roda zodiacal, contendo os doze signos distribuídos por uma faixa em torno do nosso sistema solar, tem o equinócio de primavera no hemisfério norte como o marco […]

    Leia Mais
  • Astrologia Esotérica: 2) Comportamentos e temperamentos

    Por Antonio Carlos Jorge Com vimos na matéria da edição anterior, os signos se manifestam quanto ao seu comportamento como cardinal, fixo e mutável e quanto ao temperamento em fogo, terra, ar e água. Assim teremos um mesmo elemento manifestando o seu comportamento de três formas distintas, como podemos ver abaixo:  Os signos cardinais, independente […]

    Leia Mais